UA-163577615-1

O IMPACTO DA TECNOLOGIA NO EMPREENDEDORISMO: E-COMMERCE.


Para falar de empreendedorismo, precisamos inicialmente nos deter ao seu conceito. Para isto, é necessário voltar ao fim dos anos 70 quando o empresário Michael Aldrich deu início a um movimento conhecido como ‘’shopping on-line’’, que se refere ao sistema pioneiro de processamento de transições on-line, entre empresa-consumidor (B2C) e também empresa-empresa (B2B).

Empreendedorismo, de modo geral, se trata das ações que marcam a criação ou renovação de novos negócios. No entanto, devido as dificuldades de expansão, essa iniciativa pode encontrar-se estagnada em algumas empresas.

Com os avanços tecnológicos, as necessidades do mercado foram se transformando e com isso, novas tendências de comércio foram surgindo. O E-Commerce (ou “comércio eletrônico” em português), por exemplo,refere-se a prática de comercializar serviços e/ou produtos, via internet, tendo as transições feitas por meio de dispositivos eletrônicos, tais quais podem ser celulares, tabblets, computadores, entre outros. Nesse ramo, não ocorre a limitação ao conceito inicial do empreendedorismo padrão, e nem ao conceito errôneo, que normalmente é atribuído, de ser apenas uma loja virtual, pois encontramos vários elementos que revolucionaram essa práticas de empreendedorismo, como marketplaces, vendas nas redes sociais, vendas por e-mail marketing e a própria loja virtual estar imersa nesse tipo de mercado.

Para se adaptar à realidade dos empreendedores hoje, muitas vezes, se faz necessária a inclusão do campo digital no campo físico. Diversas companhias que atuam no campo de alimentos, varejo, beauty e entre outros, acabam se rendendo a prática de marketplaces e com isso desfrutam de suas ferramentas. Exemplos reais dessa situação, são aplicativos como o ‘’James’’, ‘’IFood’’, ‘’Uber eats’’, ‘’TokBeauty’’, ‘’Airbnb’’, ‘’Amazon’’ dentre tantos outros, que realizam essa integração. É válido ressaltar, que todos os esforços de marketing e vendas ficam sob responsabilidade dos aplicativos, além da divulgação dos valores e informações adicionais acerca dos produtos e dos serviços. Enquanto isso, as empresas ou os prestadores de serviço, são responsáveis em armazenar e distribuir os produtos vendidos através do APP, ou então se locomover até o local solicitado, se assim for combinado, para realização do serviço.


Para que essa relação seja satisfatória para ambas as partes (B2C/B2B), é necessário que os estabelecimentos passem por um processo de gestão especializada, garantindo uma adaptação de forma mais eficaz. Essa mudança estará correlacionada ao espaço físico, ao controle de mercadoria, controle gastos, administração financeira e até a gestão de pessoas. A renovação nesses setores, irá garantir o sucesso das apostas no novo ramo. Com isso, é indispensável a admissão de uma equipe consultora de qualidade, que esteja capacitada para lidar com qualquer tipo de situação.

Como abordado anteriormente, um empreendedor é aquele que age, que possibilita a inovação, estando sempre em movimento e não se satisfazendo em ser mais do mesmo. É preciso ter ambição em apostar no futuro e acreditar na capacidade de ser o diferencial que o mercado precisa.

Mas então, ficou curioso em saber como que a PROJEQ pode adaptar e inserir seu negócio no ramo do e-commerce? Nós somos uma empresa que propondo soluções iremos gerenciar, inovar e transformar a sua forma de empreender, de acordo com a sua necessidade. Fala com a gente vamos encurtar a distância entre o B2C/B2B, estamos esperando por vocês!


CONTATO

  • Instagram - White Circle
  • LinkedIn - Círculo Branco

UFPB Campus I, Castelo Branco, João Pessoa-PB, +55 83 8206-1669- contato@ejprojeq.com

CNPJ: 23793980000122