UA-163577615-1

VEGAN WASHING: O que é? E como evitá-lo na sua linha de cosméticos

No ano de 2018 o IBOPE (Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística), constatou cerca de 29,2 milhões de pessoas adeptas ao estilo de vida vegana e desde então os números dessa comunidade no Brasil só cresce.


O veganismo é um estilo de vida que exclui o consumo de insumos que de alguma forma no seu processo de produção envolva exploração e crueldade contra os animais. Essa filosofia vai desde produtos alimentícios á vestuários e objetos, além da preocupação com o bem estar animal, o veganismo também presa por produtos e insumos que tragam benefícios ao meio ambiente, através de pautas antipoluição e preservação natural, durante sua obtenção e produção.


O aumento no número de veganos no Brasil trouxe consigo, a busca por produtos que atendam as especificações deste público. Diante disso, surge uma variedade de produtos veganos em todos os setores do mercado, produtos estes que tem em todo processo de produção alternativas livres de origem animal originando benefícios para humanos, animais e o meio ambiente.



Quando falamos das linhas de cosméticos que aderiram o estilo vegano em seus produtos, encontramos muitas armadilhas nos rótulos que acabam confundido o consumidor, isso acontece por conta do uso incorreto e indevido de selos atrelado ao veganismo.

Os produtos trazem nos seus rótulos o compromisso com as causas animais, ambientais e ecológicas, entretanto o seu modo de produção não corrobora com os ideais dessas causas, essa falsa utilização do estilo de vida vegana em empresas e seus respectivos produtos é conhecido como vegan washing, termo que advém do inglês e significa lavagem vegana.



1. O que é um produto cosmético 100% vegano?


Os cosméticos veganos são produtos cuja formulação não contém insumos de origem animal, como também não são testados em qualquer tipo de animal. Além da formulação diferente a filosofia vegana trás consigo a luta por um mundo mais sustentável, com isso sua produção faz um uso reduzido de água, há também uma preocupação com suas embalagens e resíduos para que não agridam o meio ambiente, reduzindo assim a poluição do planeta.


2. Qual a diferença entre cosméticos vegano e naturais?


As linhas de cosméticos veganas e naturais contém o selo cruelty free que indica que o produto é “livre de crueldade”, ou seja, não é testado em animais e, portanto, não impõe nenhum sofrimento a eles. No entanto, um produto cruelty free não é necessariamente vegano, visto que, apesar de não ser testado em animais, ainda pode conter produtos de origem animal em sua composição. Daí surge a diferença entre as duas linhas, os cosméticos naturais são feitos a partir de matérias-primas naturais, que, de maneira geral, não prejudicam a saúde dos consumidores e não maltratam o meio ambiente, já os produtos veganos são aqueles que não possuem nenhum componente de origem animal em sua formulação. Isso inclui elementos à base de ingredientes derivados como mel, leite, colágeno natural e entre outros que advém também de origem animal.



3. Como evitar vegan washing na sua linha de cosméticos:


I. Formulações limpas e autenticas


É de praxe que a formulação final dos cosméticos veganos não devem conter insumos de origem animal. Isso inclui a obtenção dos reagentes utilizados na formulação, que em sua origem também não deve ter procedência animal como base e muito menos em testes.

Dessa forma, é necessária uma análise detalhada de todos os fornecedores e origens dos reagentes. Assim pode-se identificar possíveis fraudes nas matérias primas adquiridas, evitando adulterações nas formulações e perda de autenticidade de produto vegano. Além de sempre prezar pela preservação do meio ambiente durante sua produção evitando uso exagerado de água, descarte indevido de dejetos e desmatamento.

Por isso, é preciso obedecer aos devidos parâmetros para ser considerada uma linha totalmente vegana. Sendo necessário algumas adaptações e/ou substituições na produção e formulação dos produtos de modo que não agrida de nenhuma forma os animais e também o meio ambiente.


II. Embalagens corretas


A filosofia da vida vegana traz consigo a luta por um mundo mais sustentável, essa luta é caracterizada através de seu modo de produção como também de suas embalagens, sendo as mesmas totalmente livres de origem animal e de produtos que agridam ferozmente o meio ambiente.

A utilização de embalagens de origem vegetal e reutilizáveis, a diminuição do uso excessivo do plástico e borrachas, são formas de estar diminuindo a poluição do planeta e de estar em consonância com os valores do veganismo.


III. Rotulagem claras e concisas


A rotulagem é a forma direta de comunicação do produto com o consumidor, por isso é necessário conter todas as informações de forma clara e concisa, de modo que consiga evitar dúvidas e contradições durante a obtenção do produto.

Não se deve conter informações que não podem ser comprovadas, exposta de maneira vaga e imprecisa. É de suma importância saber o que deve conter ou não nos rótulos desses produtos, visto que atualmente não há nenhuma legislação especifica voltada somente para a rotulagem de produtos veganos, o dificulta ainda mais criação de rótulos padronizados com informações corretas e eficientes.


IV. Veracidade de informações


Para produtos veganos circularem no mercado é necessário a presença dos selos que comprovem a autenticidade vegana do produto, logo não se deve aderir aos selos, “totalmente vegano”,cruelty free”, sem conter a certificação da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), que contém uma série de requisitos para a conceção do selo.


Ficou curioso sobre como adequar seu produto para circular no mercado, dentro dos pilares do veganismo e com todos os parâmetros da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), marque seu diagnóstico grátis com a PROJEQ.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

CONTATO

  • Instagram - White Circle
  • LinkedIn - Círculo Branco

UFPB Campus I, Castelo Branco, João Pessoa-PB, +55 83 8206-1669- contato@ejprojeq.com

CNPJ: 23793980000122