UA-163577615-1
top of page

Qual a importância da alimentação inclusiva para o meu negócio?

​O consumo de alimentos saudáveis vem ganhando destaque entre os brasileiros, e foi aumentado com a chegada da pandemia. Em 2020, as vendas desses produtos – que incluem desde alimentos sem glúten, sem lactose ou com menor teor de sódio à orgânicos certificados – atingiram R$ 100 bilhões no país, segundo a Euromonitor Internacional. Esse cuidado em trazer opções de preparos para pessoas com restrições diversas é muito importante, inclusive, para empreendimentos que desejam destacar-se da concorrência. Mas afinal, o que seria uma alimentação inclusiva?


Alimentação inclusiva é a prática de incluir pessoas que possuem restrições alimentares em qualquer ambiente, seja um evento, bar ou restaurante. O termo refere-se à adequação de alimentos para as pessoas com alergias e outras complicações, permitindo que elas possam ser consumidas sem que haja algum problema. Investir nesse segmento não é tão complicado quanto parece, se você se mantiver atento aos cuidados necessários na preparação do alimento.



Celíacos, alérgicos ou intolerantes ao glúten; intolerantes ou alérgicos à lactose; diabéticos, veganos e vegetarianos, entre outros. Esses são apenas alguns grupos de pessoas que se beneficiam, quando estabelecimentos variados passam a adotar a alimentação inclusiva no seu cardápio. E isso, a longo prazo, se torna um diferencial competitivo. Logo, o sucesso de um produto ou empresa é resultado da atenção dada às exigências de seus consumidores.



​Vale ressaltar que, atualmente, empreendimentos que não se adaptam ao público com restrições alimentares saem perdendo. Portanto, cada pessoa tem suas necessidades, gostos pessoais e particularidades quando falamos sobre alimentação. Ademais, pessoas que apresentam restrições alimentares, irão buscar estabelecimentos que oferecem boas opções de produtos e refeições para elas.


Entretanto, apesar da alimentação funcional ser um nicho de mercado em crescimento, ainda há poucas organizações que disponibilizam produtos seguros, saborosos e de qualidade para pessoas com dietas restritas. Estabelecimentos que produzem alimentos sem glúten, em uma cozinha na qual manipulam-se itens compostos por farinha de trigo por exemplo, devem buscar orientação para evitar a contaminação cruzada, o uso comum de utensílios e equipamentos e a limpeza inadequada são as principais causas desse tipo de contaminação. Por isso, ter um Manual de Boas Práticas de Fabricação é essencial para quem trabalha com esse e tantos outros nichos do ramo alimentício.


A procura por alimentos veganos, sem glúten ou lactose é uma tendência que só cresce ao decorrer dos anos, seja por questões de saúde ou de bem-estar pessoal. Sendo assim, é necessário que tenhamos conhecimento deste fato para ficarmos à par das novas possibilidades do mercado, e diante disso investir no Desenvolvimento de Novos Produtos, na integração e inclusão das pessoas nos mais variados ambientes. Dessa forma, o seu estabelecimento participará ativamente do mercado, sendo um diferencial.


A PROJEQ quer ajudar a promover uma alimentação mais inclusiva, desenvolvendo um novo produto pensado especialmente para o seu estabelecimento e garantindo a qualidade de sua produção. Muito além da nutrição, comer é uma experiência ligada as sensações, que devem ser vivenciadas e compartilhadas por todos nós! Entra em contato conosco para marcar um diagnóstico gratuito.

Comentarios


bottom of page